terça-feira, 30 de abril de 2013

Nova mesa da tupia

Estou cansado de construir uma mesa para inverter minha tupia, já fiz umas quatro ou cinco e nenhuma ficou a contento, a última tentei até um sistema de elevação elétrico que no começo funcionou bem, depois começou a passar raiva, portanto tive de fazer outra.

Aproveitei uma velha mesa de centro para a base


Fiz um  gabinete para acoplar na base

Vista de outro ângulo

Gabinete parafusado na base

Usei o mesmo elevador da antiga mesa

Alavanca de elevação

Detalhe das engrenagens(vista por baixo)

Porta para abrigar as fresas

Colocando um sobre tampo

Porta concluída

Com puxador e fechadura

Tampo com os trilhos já encaixados

Quase pronta

Detalhe da tupia já presa na mesa

E pronto, a régua também foi aproveitada da outra bancada





segunda-feira, 22 de abril de 2013

Restaurando mesinha de canto

Encontrei na rua(jogado fora) uma base de uma mesa de coluna, achei interessante e pensei em fabricar um tampo, com algumas avarias a base também precisou de reforma.


Primeiro desmontei a base

A coluna lixei no torno


Depois lixei os pés

Retificando os encaixes dos pés

Não gostei deste acabamento

Então o retirei

Os cantos foram arredondados na tupia

Lixando com um jig na furadeira

Lixando com lixa fina na mão

Colando os pés

Fabricando o pino de fixação do sobre tampo

Sobre tampo em compensado 10mm

Local de encaixe do pino

Sobre tampo encaixado e colado

Tampo sendo preparado

Tampo fixado

Usei tinta a base de água(três demãos)

Depois envernizei

Aqui o móvel já no lugar










sexta-feira, 12 de abril de 2013

Mini torno: Novo visual

                                               Mini torno caseiro, mudando seu visual




Todos me perguntam o porquê de construir um torno e não comprar um, eu sou apenas um hobista e ainda estou no aprendizado na arte de tornear, notando o preço de vários mini tornos 
FG13 da Ferrari desmontada
encontrados em lojas físicas ou até nas lojas da internet quase que me vem o desânimo, pois afinal nós hobistas por  muitas vezes não dispomos de tanto dinheiro, e engraçado que os mini são mais caros que os profissionais, como são os casos das marcas PROXXON e JET e por aí vai.Então nós curiosos nos aventuramos muitas vezes a construir nossa própria máquina, sem muitos recursos e com pouca noção.
Peças necessárias na construção
 No Brasil são disponibilizados alguns modelos bem em conta da conhecidíssima FERRARI, que muitos hobistas e profissionais(principalmente)detestam, na minha opinião talvez seja um pouco de exagero(mas é um assunto sempre discutível), afinal possuí durante dois anos uma furadeira de bancada de 1/2(13mm) que nunca me deixou na mão, só foi substituída depois que precisei de uma maior(5/8), já muitos não tiveram a mesma sorte, e então a pequena Ferrari 
Base em madeira já com o barramento
passou a ser a base do meu projeto de mini torno caseiro usada em substituição da pequena furadeira manual como puderam conferir, usado inteiro e completo o cabeçote da FG13 na intensão de não comprometer originalmente a máquina, mas além de grande e pesada, isso causava esteticamente um 
Peças do barramento da MF 7
desconforto.É claro que nem todas as peças possuem utilização no projeto, mas serão guardadas para um uso futuro, selecionadas as peças para a máquina caseira vamos a um plano de base.Feito de Madeira rústica e maciça e um fundo de compensado desenhei uma base sem muitos detalhes, bem simples, apenas na afinidade de 
Coluna presa na base de madeira
acomodar o projeto,consegui no site da Royal Ferramentas um barramento com rodinho e contra ponta por um preço abaixo das duzentas pratas, este conjunto é utilizado com parte integrante nas máquinas de multi função MF 7 também da marca Ferrari, vendido separadamente para
Cabeçote fixado na coluna
 minha maior satisfação.Então começamos a montagem da máquina caseira cortando a coluna e fixando-a na base, então alinhamos cuidadosamente o cabeçote e fixando-o na coluna e já pensando em algo para fixá-lo também no eixo do mandril, para eliminar vibrações no torneamento de peças livres(pratos, cinzeiros, etc), o sistema de cremalheira que desce e sobe o mandril foi 
Motor já fixado
eliminado, dando mais estabilidade e robustez na fixação do mesmo.Para a montagem do motor uma atenção especial em relação à tensão da correia, procurei colocá-lo de uma forma que se pode trocar a posição da correia nas polias sem que precise movimentá-lo, aproveitei o mesmo interruptor da máquina, apenas mudei sua posição, ficou ao lado do 
Emaranhado de fios fixados atrás do motor
mandril, fixei os fios na parte de trás do torno pra não atrapalhar seu funcionamento, a trava de segurança do interruptor também foi mantida para que pessoas não autorizadas arrisquem a se machucar no torno.O Mandril ficou todo do lado de fora e foi parafusada 
Detalhe do interruptor
uma chapa de metal na parte de baixo para melhor fixação do mesmo, ficando sem folga e sem vibrações, pois na versão anterior quando se torneava uma peça livre vibrava muito, acredito que dessa forma isso não ocorrerá, terminado o trabalho, a máquina ficou pronta, esteticamente ficou bom, funcionamento também, agora basta fazer alguns testes para os ajustes finais.Ficando assim uma máquina perfeita para hobby, suas especificações aproximam-se de um mini torno profissional e com certeza para o término do meu aprendizado será de ótima utilidade, sua ficha técnica ficou assim:
  • Motor - 1/3 hp (250 W)
    Chapa de metal apoiando o mandril


    Lixadeira de disco, para afiação
  • RPM - 1700 (variável)
  • Transmissão - correia e polia(5 velocidades)
  • Distância entre pontas - 640 mm
  • Diâmetro máx. - 170 mm
  • Tensão nominal - 110 - 220 (bivolt)
  • Peso -  20 kg
Visual novo da máquina caseira
Outro fator importantíssimo são as ferramentas utilizadas no torneamento, sendo que para cada tipo de corte existe uma goiva de ponta específica e com certeza a afiação deve ser perfeita e por isso existem vários métodos para afiar as ferramentas de corte, observando sites de mestres do "woodturning" na net vi que vários afiam suas goivas em lixadeiras de cinta, disco e tambor, realmente fica bom, uso também o disco do esmeril(rebolo) no próprio torno, e manualmente usa-se um jig(projeto ainda pendente por aqui) para usar com uma pedra de afiação.
Rebolo do esmeril no torno

Algumas goivas e formões
Pedaço de tronco para testes

Pelo que pude perceber parece que existe um tipo de goiva para cada trabalho a ser feito, no momento estou torneando pequenas peças e uso uma goiva de desbaste(curvada) e outra de acabamento(ponte aguda), também uso um pequeno formão quadrado de extremidade bem fina e alguns outros de haste "chata" que possuo.Realizados alguns testes com um pequeno pedaço de um tronco de árvore(que nem imagino o nome, com sempre) percebi que está bem a contento e que com o tempo pode ser bem aperfeiçoadoForam feitas alguns modelos de ranhuras, a madeira não estava completamente seca então ficou fácil o torneamento, mas foi o suficiente para 
Torneamento livre
comprovar a precisão da máquina.

Testes no tronco
Depois foi feito com a mesma peça um corte e foi feito um pequeno cinzeiro para testar o torneamento livre e as vibrações finalmente não existem mais.Na versão anterior do mini torno quando se tornava um prato ou cinzeiro tinha uma enorme vibração que fazia com que a ponta da goiva escapasse e comprometia o trabalho, isso era devido a uma pequena folga no mandril da furadeira, problema esse que 
Cinzeiro pronto
Detalhe do pequeno flange
foi corrigido, os dispositivos usados por enquanto para se prender a peça trabalhada é um flange caseiro, uma porca soldada a uma ruela, depois de presa a peça com quatro parafusos nas bordas da ruela o conjunto é rosqueado no parafuso que está preso ao mandril.Tenho um flange de maior tamanho e também irei adaptar uma porca referente ao eixo.Depois foi a hora de providenciar um acessório, a ponta de arraste, que foi feito através de um soquete 19 mm de chave catraca, um parafuso e uma porca de 1/2 soldados respectivamente, 
Detalhe do flange maior 
fiz a ponta no parafuso central e depois feitos dois rasgos no soquete para soldar dois pedaços de uma lâmina de formão afiados.Aproveitei e pedi para o torneiro fazer uma rosca diretamente no eixo do cabeçote do torno para que seus acessórios sejam acoplados diretamente no eixo eliminando a obrigação de usar o mandril, mas ainda dá pra colocá-lo quando precisar pois seu encaixe cônico é de cinco cm e a rosca ocupou dois e meio apenas.O interruptor original da furadeira deu problema e troquei por outro normal.


Criando uma ponta de fixar madeira no torno:

Introduzindo o parafuso...
Soquete de 19 mm, parafuso e porca de 1/2
...depois a porca
               


             
Outro ângulo

             
            Detalhe da rosca no eixo
Tentando tornear aquela famosa taça que fica um anel no meio, senti a necessidade de uma luneta, então aproveitando uns restos de compensado e construí uma, usando dois rolamentos pequenos e um maior para o centro e três parafusos sextavados com porca garra.

Luneta desmontada para melhor detalhe das peças

Detalhe das porca garra na traseira

luneta em teste no torno

Detalhe da fixação no barramento

Vista por trás, mostrando o conjunto porca garra + parafusos

Luneta montada e taça ao lado

Pra quem está começando até que não ficou tão ruim













Casinha de cachorro em pallet

Projeto de uma casinha de cachorro feita de pallets, encomenda  para um amigo, apenas lixei, o cliente não quis acabamento. ...